domingo, 20 de novembro de 2016

...
20\11\16
Pensando aqui...
Pedir a cabeça de Geddel é o que pode e deve fazer a "direita fascistoide" nesse momento. O "caso" cava uma fossa enorme que caberia a torre, onde o ministro é proprietário de um apartamento, e todos os espaços manipulados pela especulação imobiliária, coordenada por ACM Neto à sombra do IPHAN (direção de Salvador). Para que Temer sobreviva até janeiro próximo, só saindo de campo, indo para o banco de reservas.E completando o time dos "SSP - Safados sem Pudor", entra o Jucá:inimigo de Índios.
Geddel precisa aceitar-se como o filtro que reterá toda a sujeira do governo que pretendeu extinguir o Ministério da Cultura, para melhor poder manobrar o IPHAN, em Brasília.

--------------------

Desabafo:
Será que o Sebastião Nery,aquele que foi adido de Collor de Mello, tem credibilidade para falar de alguém? Como politico, foi um dos fundadores do PDT, com Brizola. Expulso do partido, passou a atacar o antigo líder, sem quaisquer limitações éticas.
Como jornalista, praticou a calúnia e difamação em inúmeros momentos, merecendo desmentidos e respondendo a processos. Na sua última fase de decadência fatal, voltou-se contra Lula de forma vergonhosa, servindo a interesses os mais sórdidos. São escritos dele: "Dirceu perguntou como iriam conseguir maioria no Congresso. - Compra os pequenos partidos, disse Lula a Dirceu. – Fica mais barato. Dilma virou ministra de Minas e Energia, Tarso Genro da Justiça e Olivio Dutra das Cidades. E assim nasceu o Mensalão.
Lula é um “cappo”. Os companheiros do partido e governo no banco dos réus e ele, só ele, de fora. Logo ele que é o grande réu, “o réu”. Dirceu, Roberto Jeferson, Genoino, Delúbio, Silvinho, Marcos Valério, Gushiken, João Paulo Cunha, Valdemar Costa Neto, Professor Luizinho, a malta toda, como disse o Procurador Geral da República, era uma “organização criminosa”, uma “quadrilha” chefiada pelo Dirceu. Mas sob o comando do chefão, Lula. Quem tinha de estar no banco da frente era ele, “o réu”.
Sebastião Nery não tem condições para criticar o mais sujo dos sujos.

--------------------

O escândalo surgido em torno do "prédio do Geddel" é a ponta do icberg. O prefeito ACM Neto, alinhado com o governo Michel, tem para Salvador o projeto "cidade branca e limpa", ser construída com a participação, orientação e ganhos da/para especulação imobiliária. O novo PDDU de Salvador ficará marcado na história pela subordinação do poder público aos interesses privados. Uma das expressões mais contundentes disso é a incidência de Operações Urbanas Consorciadas em três áreas imensas de Salvador (Centro Antigo, Engenho Velho de Brotas e Suburbana), que, na prática, reservam para o mercado imobiliário áreas cruciais para a identidade de Salvador, territórios negros urbanizados, com características especiais do ponto de vista histórico, cultural e paisagístico. A verticalização da orla também demonstra que o PDDU foi feito para atender aos interesses do mercado.