sábado, 10 de dezembro de 2016

As obras de misericórdia são quatorze: sete corporais e sete espirituais, conforme são corporais ou espirituais as necessidades que se socorrem.

As obras de misericórdia corporais são:

1ª Dar de comer a quem tem fome;
2ª Dar de beber a quem tem sede;
3ª Vestir os nus;
4ª Dar pousada aos peregrinos;
5ª Assistir aos enfermos;
6ª Visitar os presos;
7ª Enterrar os mortos.

As obras de misericórdia espirituais são:
1ª Dar bom conselho;
2ª Ensinar os ignorantes;
3ª Corrigir os que erram;
4ª Consolar os aflitos;
5ª Perdoar as injúrias;
6ª Sofrer com paciência as fraquezas do nosso próximo;
7ª Rogar a Deus por vivos e defuntos.
(Catecismo de S. Pio X. Capítulo IV. "Das obras de misericórdia")
SÃO CATÓLICOS.
10\12\16

CABRAL, PICCIANI, SUZZI ... e DORNELLES
O que nos conta um tal jornal, discreto, pois o escândalo em questão é dos menores, nada que se compare à obra ciclópica de Jucá, o desmatador e exterminador de índios: "Susana (a que não parece ser tão casta) foi nomeada pelo próprio Picciani. Ela é prima de Dornelles e do presidente nacional do PSDB, senador Aécio 'Cunha' (MG). Picciani foi aliado e parceiro político do ex-governador do Rio por muitos anos. De 1995 a 2002, Cabral presidiu a Alerj, enquanto o atual presidente era primeiro secretário. Tudo faz sentido. Picciani e Cabral ficaram ricos juntos, usando a presidência da Assembleia como ponto de partida. Ao dar emprego à ex-mulher de Cabral, que é formada em Direito, mas na verdade nunca trabalhou na vida e era funcionária-fantasma de Dornelles, Picciani está apenas mostrando que uma mão (suja) tenta lavar a outra mão (também suja)"
O que pode ser dito e não está escrito: Chico Dornelles seria o Ministro da Fazenda de Tancredo Neves, economista de linha a mais conservadora, e hoje sabido como homem de caráter ralo. Conclusão: Tancredo teve a boa sorte de falecer enquanto herói nacional, pois que seu governo seria na melhor hipótese uma mediocridade lamentável.

-----------------
Jucá é apontado como o grande negociador de propinas com a empreiteira baiana. Mas a delação envolve Renan Calheiros e praticamente toda a cúpula do PMDB. Também o Temer, associado ao seu amigo Jose Yunes.
É certo que a aceitação da delação será um processo demorado. Mas como o Michel já estava balançando, poderá cair antes do Natal. Vale torcer !!
E como mal menor: #DiretasJá.

=============

Máscaras vão caindo e vários rostos conhecidos vão se mostrando: Cidinha Campos,hein!? O que diz o jornal: "Desde que foi preso, em 17 de novembro, Cabral recebeu a visita dos deputados Cidinha Campos (PDT), Paulo Melo (PMDB) e Jorge Picciani (PMDB), presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). A ex-primeira-dama Adriana Ancelmo também visitou o marido, antes de ela mesma ser presa, na última terça-feira, 6. Como o documento de acesso ao sistema penitenciário não estava pronto, ela obteve autorização especial para ver Cabral."
Corja!