segunda-feira, 24 de julho de 2017

23\07\17

Muito se propala nas comédias da vida e na própria história sobre a 'esperteza' dos malandros que tudo fazem pelo lucro e proveito sem sequer ter preocupação com demais viventes nem mesmo com seu futuro. Mostram sua limitação de alcance intelectual como se afundassem o barco para atingir seu desafeto. Mal iniciou o governo do vice golpista e em menos de um ano já se observa aumentada mendicância nas grandes cidades. Seu rumo destruidor das conquistas reduziu auxílios como bolsa família, sua política promove despedidas de empregados e fechamento de pequenas empresas,como se fosse uma bola de neve: menos empregos, menos dinheiro, desistência de estudos dos pobres que se amparavam em bolsas, etc. Toda a 'mexida' na CLT visou dar mais lucros ao patrão e menos direitos ao empregado. As perspectivas da previdência forem calculadamente divulgadas até com falsidade por intuitos políticos. Ou seja, ao capital, TUDO, ao trabalhador, NADA. Os empresários poderão tirar ferias e féria dos seus empregados. Não terão mais amolação de ações trabalhistas por sua conduta escravagista. Poderão livremente despedir ou trocar com ganho qualquer impasse. E a consequência? Precisariam enxergar que o distanciamento que tudo isso provocará mudará a homogeneidade da sociedade. Haverá por lógica, redução de compradores para seus produtos.
Comerão a manteiga que fabricam? Ou se enforcarão nos fios de sua indústria? Poderão, por pequeno prazo, gozar as delicias de se sentir reis em terra de pobres...e daí? De que lhes adiantará ter um olho em terra de cegos? Precisariam ver que se pobreza não gera necessariamente crimes, sua perpetuação atinge estômagos, e estômagos precisam de alimentos e, sem dinheiro o crime virá ! Virá, com força. E serão os riquinhos tolos as principais vítimas... Sim, os que tem o que ser roubado estarão na mira do ladrão. Disso se conclui que estão atirando em seus pés! Ganham hoje o que entregarão chorando amanhã ! Muito já se falou sobre o reerguimento dos EUA após a crise de 1929, em que Roosevelt pregou um programa (New Deal) de fortalecimento do mercado interno como salvação do pais. Não foi muito diferente do que Lula fez aqui no Brasil e que todos tiveram de engolir 'a marolinha' que transformou a crise de 2008 em nosso país. A ideia de que os trabalhadores tenham maior participação nos bens e lucros da sociedade vem de muito antes. Henry Ford já pregava como meio de vender os carros que produzia e fez escola que ainda é estudada (e que está olvidada pelos sábios seguidores do governinho temerato).

É de se lamentar a exposição de estupidez festejada por FIESPs e demais ramos patronais, em seus risos imbecis. Estão cavando a própria sepultura e transformando um país que mirava a prosperidade em curva para um passado tenebroso, onde a casa grande esfolava sem dó seus escravos.




SÓ QUE HÁ CIRCUNSTÂNCIAS DIFERENTES E NEM TODOS OS TOGADOS ENGRAÇADOS E COVARDES PODERÃO DAR PROTEÇÃO AOS NÉSCIOS QUE TIVERAM SEU APOIO PARA O GOLPE - TODOS SERÃO VITIMAS E O BRASIL SUCUMBIRÁ NAS MÃOS DOS EUA QUE ORIENTA ESSE RUMO TÉTRICO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário