segunda-feira, 10 de abril de 2017

10\04\2017

Lembrando aqui...A construção da Ponte Rio - Niterói foi um elefante branco para a época e muitas empreiteiras envolvidas na Lava Jato apareciam na obra.
Os elefantes brancos que a ditadura de 64 deixou são parrudos e reluzentes como ouro. 
A Transamazônica se impõe como um dos mais imponentes e depois lembramos a Ferrrovia do Aço que levaria o minério de ferro de MG até o Porto do Rio diretamente. Ambos os projetos fracassaram, deixando enorme prejuízo aos cofres públicos.
---------------------------------

Camaradas, o delator identificou o nome 'amigo' como Lula. Isso nem era ignorado já que o patriarca dos Odebrecht era referido como amigo e dava apoio ao Lula sem conotação de interesse de obras. Vi com a natural atenção mas como de pouca evidência por estar veiculada justamente às UOL/Folha, que primam por querer colocar o Lula em situação de criminoso.
No caso do Instituto Lula e de um terreno que seria construído, não são denuncias novas, e pela demora em ter algo concreto, significa que estas, padecem de provas robustas.
Acho que haverá mais à saber antes de se ter conclusão. Por enquanto o criticável é o ódio dessa mídia que não mede consequência em seus desvarios, que afetam a vida do país.
Hoje tb vi uma fala do antigo ministro do Lula, da defesa, jurista que desmentiu o Gilmar quando este quis dar versão mentirosas em encontro em que os três tiveram... Vem bem a proposito dessas acusações que ele(não é nenhum santo mas já foi presidente do STF) toca nessa sanha que move todos em querer a prisão do Lula como vingança,com ou sem fato criminoso.
É bem a exposição de inveja pela ascensão que todos tem pelo Lula.
* Dá até para se pensar que a vinda do Cristo, tão acarinhada, inaugurou a era das hostilidades. Se a doutrina pregada  em sua missão gerou perseguição e vítimas em seus seguidores e futuras guerras como as Cruzadas e outras que decorreram sob o manto de cristianismo, que somado aos degenerados ou fracos mentores da mesma igreja e nos presentearam com a inquisição que até hoje reflete a irracionalidade que assume cabeças que não tem controle de poder. Fica obrigatória a análise de que inversão se opera quando uma pregação visa um bem e gera somente o mal. Por força de circunstâncias atuais, vem a todos a questão judaica. A literatura ou cinema ou crítica comum costuma configurar judeus como raça e até dão um biotipo caricato, como se fosse real. Mas isso nem pode ser levado a sério já que tudo se altera com a geografia. Há judeus de todas as cores e caras. O que há para se ser aceito, indiscutivelmente, por ser fundamental, é que o judaismo reune pessoas pelo fundamento simples -RELIGIÃO.  Tudo o mais decorre apenas disso. Se há tradição de circuncisão dos meninos ou comemorações outras, nada mais é do que parte de sua observância e ritos do Torá ou outras fontes que seguem. O labeu ou estigma que muitos lhes dão, por incrível que sejam, decorrem da mesma 'bondade' e 'santidade' dos demais santos religiosos a que eles reciprocamente usam. Mas hoje fica incompreensível a quem, sem adesão religiosa, observe a inversão de fundo pretensamente religioso (de qualquer natureza) nas ações que repercutem internacionalmente. Se a História os fez ter caráter ou apelido de errantes por força de perseguições, houve ao menos um esforço do mundo em promover um remendo a perseguição nazifascista a que chamam de holocausto e, por meio da ONU, foi feito um acordo para que se fixassem em terras antes dominadas também por povos árabes e que tinham ligação com as terras que abrigaram o Cristo. Só que o que deveria ser caminho para uma pacificação, como se fosse a construção da torre de Babel, gerou desentendimentos acima de tudo. Todo intuito de paz foi pelo ralo. O que assistimos atualmente é um apego interesseiro, com viés econômico/financeiro com os EUA, maliciosamente explorado para obter poder e, mais, exclusividade nos territórios e, se possível, no MUNDO. QUANTA SANTIDADE !  Esse Alah...nos saiu do arco da velha! Se seus hábitos eram defensivo por conta de perseguições milenares, trataram de inverter essa tendência e passaram a ferozes e hostis aderentes aos mais belicosos povos - os anglo/americanos. Já desenvolveram dentro de suas tendas ideológicas o clube apelidados de sionismo, que congrega ideias e formas que repetem seus algozes. Tudo que se propalou sobre atrocidades nazistas contra eles, ora vem sendo noticiado com suas formas de atuar. ONDE SE CHEGARÁ NO MUNDO EM QUE AS TENDÊNCIAS MUDAM DE CURSO DESSA FORMA.  Se há, como dizem, um deus e um demônio, parece que são ambos gozadores e se divertem às custas dos que creem...



A presença judaica na Palestina era bem anterior a resolução da ONU. Conviviamos em paz com as populações  de la. Houveram tratativas para Israel fosse na África e judeus compraram terras ( o que era proibido em muitos países)   lá  em Uganda. Tem episodios bem pitorescos na discussao do sionismo. Ha judeus sefaradis e eskenazis, e um implica com o outro, colando caracteristicas eivadas de preconceito. Há  microfascismo nas relações  da comunidade judaica como na dos judeus e a sociedade em geral.  Há medo, muito medo e uma luta tensa e intensa para manter a cultura e a religião.  Somos cerca de 150 mil no Brasil. Poucos. Muito poucos. Minoria. Nao chegamos a 0.5 por cento da população. 
Porque um fascista quer colar sua imagem em nos? Porque a igreja universal vem usando nossos simbolos - a kipa e o talit - em seus atos liturgicos?

Conviveram em paz com as populações. Houveram tratativas para que Israel fosse na África e judeus compraram terras ( o que era proibido em muitos países)   lá  em Uganda.
 Tem episódios bem pitorescos na discussão do sionismo. Ha judeus sefaradis e eskenazis, e um implica com o outro, colando caracteristicas eivadas de preconceito. Há também microfascismo nas relações  da comunidade judaica como na dos judeus e a sociedade em geral.  Medo, muito medo e uma luta tensa e intensa para manter a cultura e a religião. 

Defesa Sanitária e Vigilância Sanitária. Que sistemas são esses?

A norma está escrita entre as
“artes de julgar”. Ela é um
princípio de comparação.
Sabemos que tem relação
com o poder, mas sua relação
não se dá pelo uso da força
e sim por meio de uma espécie
de lógica, que se poderia quase
dizer que é invisível, insidiosa.


O Brasil possui dois sistemas que deveriam proteger a saúde de seus cidadãos nas suas relações de consumo (alimentos, lazer - piscinas, medicamentos ,dentre outros) e da prestação de serviços (hospitais, clinicas terapêuticas e de vacinas, academias, água potável e afins), a Defesa Sanitária do MAPA Ministério da Agricultura Pecuária e Pesca, e a Vigilância Sanitária do MS. Isto não ocorre, infelizmente, contrariando o artigo 200 incisos I, II e VI), que define as atribuições do SUS, da tão bombardeada Constituição Cidadã de 1988.

A pirotécnica e espetaculosa operação Carne Fraca da Polícia Federal e o MPF, se viram obrigados a pautar esses dois sistemas, um da época do Getúlio, com raízes profundas no corporativismo que, inclusive, define reserva de mercado para a categoria dos médicos veterinários e engenheiros agrônomos, como ainda fosse até hoje a mesma realidade dos anos 50. O segundo, coordenado pela ANVISA, é fruto da construção da principal política de inclusão social, que é o SUS, gestado na VIII Conferência Nacional de Saúde e na I Conferência Nacional de Saúde do Consumidor, que resultou a Vigilância Sanitária e a Defesa do Consumidor.

A preocupação e motivação que nos leva a fazer essa reflexão, foi a visualização de um vídeo, onde um médico veterinário faz a defesa da sanidade da carne brasileira de forma bem enfática, e que muitos ativistas virtuais acabaram compartilhando. Assim, me senti obrigada a expor meu ponto de vista, que pode contrariar os que defendem como prioridade a preservação dos empregos.

Afirmo que golpistas, através de seus agentes bem pagos, se utilizam de meias verdades para pescar nas bacias das almas inocentes úteis. Voltemos ao vídeo citado em prol da Defesa Sanitária. Aquele que é mais atento percebe que, no fundo, defende a estrutura e o modelo de fiscalização do MAPA, que é o de dar aval irrestrito ao agronegócio, altamente corporativo. Na realidade, uma EMBRATUR dos frigoríficos e do agronegócio.

Existem duas Câmaras Técnicas para definição das políticas de fiscalização e definição das medidas de controle dentro do MAPA. É deles o controle. Não adianta o Sr. Ministro usar e tentar vender gato por lebre.

Se dentro do sistema de Vigilância Sanitária, quando ocorreram em 1988 os escândalos dos medicamentos sem procedência (falta de qualidade, e falsos), os farmacêuticos responsáveis pela garantia de qualidade, fossem agentes do SUS/ANVISA, a Vigilância Sanitária teria dado a resposta que o povo brasileiro precisava? Lembre-se: o ministro era José Serra. Quem e qual melhor sistema respondeu? Isso antes de existir a ANVISA, que também está sobre ataque para ter

sua política de fiscalização e controle "privatizada". Agora o Sr. Temeroso indicou o Sr.João Abukater Neto, um grande especialista no mercado de imóveis e/ou especulação imobiliária, como novo diretor da ANVISA e futuro presidente desta agência regulatória. A vaca já está no brejo.

O sistema de DEFESA do MAPA defende o agronegócio no geral. Sabemos que existem resíduos de hormônios, antibióticos e outros resíduos MV no frango, nas carnes bovina e suína e nos lácteos, além dos resíduos de agrotóxicos. Pergunto: por que isso não foi pautado na Carne Fraca?

Esses desvios de qualidade e segurança e outros já foram noticiados, claro que sem essa pirotecnia da Lava-Jato. Temos de aprofundar. É só buscar o Dossiê ABRASCO, e saberemos que cada brasileiro está consumindo mais de 5 litros de veneno por ano.

Este segmento é um dos aliados principais das Monsantos da vida e das mortes. Eles as defendem verbalmente e nas suas práticas produtivas. É o tal círculo virtuoso às avessas, anti-povo brasileiro. O círculo do capital genocida e perverso. Não podemos esquecer, são contra a agricultura familiar e já patrocinaram e/ou estão envolvidos nos desmatamentos na Amazônia; e o pior: alguns patrocinam mortes dos povos originários brasileiros (dentre os quais os Guaranis-Kaiowa); perseguem todos os movimentos sociais, principalmente o MST.

Na cidade de São Paulo, a COVISA, do atual cinzentismo doriano, a fim de tirar o foco da Carne Fraca, e a serviço de interesses nem sempre claros, persegue as avícolas artesanais, num claro desrespeito ao artigo 179 da Constituição Cidadã, e acaba institucionalizando a vingança sanitária. Cadê a equidade do SUS? É, amigos, a opção pela mediocridade tem vários caminhos!

Colocam seus agentes em tentativas de cooptação e/ou intimidação, sem negar a recorrente eliminação seletiva, como ocorreu no Pará alguns dias atrás, bem como de outros muitos de nossos heróis anônimos, de nossa história de resistência e lutas enquanto povo brasileiro.

Sem esquecer do segmento nas práticas análogas de trabalho escravo, tão amplamente noticiadas e documentadas pelos auditores do Ministério do Trabalho e Emprego. Quem conhece sobre saúde do trabalhador sabe dos inúmeros casos de Ler-Dort, dos transtornos de saúde mental, e muitas outras; das jornadas exaustivas, apesar da existência da NR-36. Não podemos compactuar com os mais esses fis representantes do escravagismo temeroso.

Urge desprivatizar os serviços de Defesa Sanitária do MAPA e as Vigilâncias Sanitárias. Exigir o cumprimento do artigo 200, inciso VI da tão maltratada, pelos golpistas, Constituição Federal. Portanto, cautela e caldo de galinha caipira, não faz mal a ninguém.