quarta-feira, 3 de maio de 2017

2\5\17

Depois de tudo que vi no dia de hoje,cabe dizer: O Procurador Geral da República é leitor inveterado de Kafka, de quem aprecia em especial "O Processo" e "O Castelo". Também le e relê "Alice no País das Maravilhas".
Assim caminha o Brasil...
A classe média reclamou dos pobres em aeroportos e agora os encontra nas rodoviárias
3\05\17

Pretensão e Água Benta
Antigamente se dizia que pretensão e água benta cada um usa o quanto quiser. Mas comporta um porém: o ridículo evidencia os atos indignos e expõe seus atores. Até o que poderia passar como irônico fica com a marca jocosa quando ultrapassa as medidas. Se um qualquer, pode ser prefeito ou coronel do lugarejo, usar a pia batismal da igreja para lavar suas mãos sujas não faltarão beatas e comadres para registrar o desacato. O que estamos presenciando no âmbito da chamada 'lavajato' é exatamente isso! Um frangote mal empenado perdeu noção de valores e está pretendendo limpar suas unhas na pia de água benta. Sem competência e base legal, fez por querer discriminar entre dádivas recebidas por um presidente do país o que, a seu critério, deveria guardar para si, sem sequer ter noção de valores (materiais ou morais ou estimativos por razões que não lhe dizem respeito). Por que se dá poder desse discernimento? Há regulamentação legal que confere a verificação dessa matéria com critérios e ponderações necessárias no esquema administrativo que, logo, tem competência exclusiva e de direito, e não foi criada "ad hoc" para festejo de mídia. Mas quem recebe uma dádiva é que senhor do ato, que tem a prerrogativa para saber se a significação de um bem tem ou não raízes pessoais entre ofertante e recebedor. Ademais, a pessoa que recebe tem competência delegada de quem pode atribuir tal poder - o povo, que lhe deu a função que engloba isso e muito mais! O só fato de ter retirado os bens de onde se guardavam deveria gerar um pedido de desculpas e não a ideia de explorar um viés para obtenção de mais odiosidade com que manipula seus atos. Não seria mais correto e digno, a si mesmo, a seus pares e a toda a nação que cuidasse de sua própria imagem? Não são poucas as manchetes que escancaram a pouca vergonha atual no mundo das togas em que mais de 70% dos juízes e procuradores se locupletam com 'aumentos ou penduricalhos' imorais ou de legalidade controvertida e lhes põem como ratazanas nos cofres do erário. Está assim o tal moço, sem noção de valor, colocando suas mãos encardidas na água benta com a desfaçatez de se sentir no direito. DIREITO? Mas, até quando os demais quadros judiciais manterão tolerância a essa sequência ridícula de atos impróprios que pisoteiam o bom senso, direito e leis?

https://ocontroversoblog.wordpress.com/2017/05/03/pretensao-e-agua-benta/